Cafeteria vai testar robôs controlados por PCDs em Tóquio

Um dos medos contemporâneos é que os robôs substituam a mão de obra humana. Se depender de uma cafeteria no distrito de Akasaka, em Tóquio (Japão), isso não ocorrerá. Pelo contrário: os robôs serão sinônimo de inclusão.

O estabelecimento, que tem sua inauguração-teste prevista entre 26 de novembro e 7 de dezembro, deve utilizar as máquinas como garçons controlados remotamente por pessoas com deficiência (PCDs), sobretudo aquelas com esclerose lateral amiotrófica (ELA), uma doença neurodegenerativa que causa perda de mobilidade – seu caso mais famoso é do físico Stephen Hawking (1942-2018).

Os modelo utilizados serão OriHime-D, produzidos pela empresa OryLaboratory, que tem 1,20 metro de altura e 20 quilos.

Além de serem controlados por computadores ou tablets, os trabalhadores poderão interagir com os clientes a partir de funções de áudio e vídeo transmitidas em tempo real via internet.

“Eu quero criar um mundo em que pessoas que não possam mover seus corpos também possam trabalhar”, disse Kentaro Yoshifuji, diretor executivo da companhia, ao diário japonês Mainichi.

Os robôs controlados remotamente por PCDs na cafeteria também devem servir como testes para projetar esse tipo de atendimento para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio em 2020.

 

Com informações do jornal Mainichi e portal Tecmundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *