Estudantes montam rede para preservar memória do Museu Nacional

No último domingo (02/09) até a madrugada de segunda-feira (03/09), um incêndio de enormes proporções tomou conta do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, e liquidou (talvez quase por completo) com o maior acervo de história natural e antropologia da América Latina, que reunia cerca de 20 milhões de itens.

Com o propósito de preservar a memória da instituição fundada por D. João VI, que completou 200 anos em junho deste ano sob a administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), estudantes do curso de museologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) montaram uma rede para coletar fotos dos itens do acervo e do espaço expositivo.

As imagens podem ser enviadas para os seguintes endereços de e-mail: thg.museo@gmail.com; lusantosmuseo@gmail.com; e isabeladfrreitas@gmail.com.

Perdas irreparáveis

Uma história de diversidade estava exposta no Museu Nacional. O espaço abrigava múmias egípcias, mais de 700 peças das civilizações gregas, romanas e etruscas, as maiores coleções clássicas e indígenas de todo o continente, esqueletos de dinossauros, documentos da época do Brasil colonial e imperial, além do famoso crânio de Luzia (o fóssil humano mais antigo das Américas, que viveu há mais de 11 mil anos, encontrado em Minas Gerais).

Ainda não se sabe com clareza o tamanho das perdas e danos. Até o fechamento desta matéria, no entanto, se confirmou apenas que o meteorito Bendegó, descoberto no sertão da Bahia em 1784, permaneceu intacto por ser composto de ferro maciço e resistente a temperaturas elevadas, conforme explicou o geólogo Renato Cabral ao portal UOL.

Curiosamente, uma das fotos resgatadas que voltou a circular hoje é a da visita do físico alemão Albert Einstein ao Museu Nacional, em 7 de maio de 1925, que ele posa ao lado do meteorito Bendegó. Veja:

Cientista Albert Einstein ao lado do meteorito Bendegó, um dos poucos itens que não foi deteriorado no incêndio do Museu Nacional

 

Usuários do Twitter também estão compartilhando imagens de outros itens que compunham o acervo do Museu Nacional. Confira:

Com informações de O Globo, UOL e BuzzFeed.
Foto: Augusto Malta/ Acervo IMS (1930).

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *