Jovens cultivam educação ao plantar livros em espaços públicos

Ao visitar a capital do Rio de Janeiro nesta semana, não se assuste ao encontrar obras literárias em estações de metrô, praças e corredores de shoppings. Trata-se de uma iniciativa de  estudantes que estão distribuindo livros em espaços públicos para incentivar a leitura e a ampliação de conhecimentos. 

Marcele Pacheco deixa livros em espaços públicos para incentivar a leitura

Marcele Pacheco deixa livros em espaços públicos para incentivar a leitura

A campanha, intitulada #UmLivroMeAchou, é realizada pela CEL International School em comemoração ao Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor, celebrado hoje (23) pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

A estudante Marcele Pacheco, 15, é uma das doadoras. Ela deixou um exemplar da obra “Patty Palito”, de Susana Klessen, na mão de uma estátua em um shopping da zona norte.

Bilhete deixado por aluna que doou livro e recado devolvido por presenteado

Bilhete deixado por aluna que doou livro e recado devolvido por presenteado

Como agradecimento, ela recebeu, na escola, um recado do segurança do centro de compras que pegou o livro. “Fiquei surpreso, nunca tinha visto uma ação como essa. Queria que ela soubesse que eu encontrei e li”, afirmou Adriano Santos.

Campanha #UmLivroMeAchou é realizada por estudantes de escola particular do Rio de Janeiro

Campanha #UmLivroMeAchou é realizada por estudantes de escola particular do Rio de Janeiro

Motivada pelo retorno do segurança, Marcele diz que quer repetir o gesto. Além dela, mais de 50 alunos e funcionários das três unidades do colégio também aderiram à campanha e estão “esquecendo” livros voluntariamente em diversos espaços públicos.

“Compartilhar um livro é compartilhar experiência de vida, seja ela positiva ou negativa. E a história não vem solitária, ela carrega, consigo, os últimos leitores”, destaca a professora de português Carla Seixas, 35, que também participa da campanha.

Leia também: Livro infantil de Malala expõe dor sem perder a ternura

Por QSocial 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *