Método estimula interação entre pais e filhos em Paraisópolis

É na primeira infância que parte do desenvolvimento intelectual de uma criança é construído. Após chegar a essa conclusão durante estudo feito na Suíça, a dentista Ana Maria Bastos, 41 anos, criou uma metodologia com foco na interação entre pais e filhos, que hoje é aplicada na comunidade de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, e em instituições privadas.

Ana Maria deixou de atuar como dentista para oferecer treinamentos para pais, cuidadores e educadores da primeira infância

A ideia do Descobrir Brincando, que tem como beneficiários bebês e crianças de até 3 anos de idade, partiu da conclusão de que parte do desenvolvimento social e econômico da Suíça se deve aos cuidados com a primeira infância tanto do governo como de empresas privadas.

“É no começo da vida que o bebê desenvolve a estrutura de seu cérebro, sua capacidade de raciocinar e de se comunicar com as pessoas”, afirma Ana Maria, que também pesquisou sobre o tema em renomadas universidades do mundo, como Harvard.

Para o desenvolvimento integral da criança, a metodologia promove encontros em “ambiente seguro, desafiador e nutritivo afetivamente”, que dão espaço a criatividade e descobertas, buscando a construção de uma relação respeitosa entre pais e filhos.

Conteúdo do encontros é oferecido por meio de jogos de tabuleiro e brincadeiras

“A minha proposta é fazer o adulto se colocar na perspectiva da criança, por meio de jogos de tabuleiro e brincadeiras, de forma que ele entenda as particularidades dela”, explica a empreendedora, hoje mãe de um casal de crianças.

Para que o seu projeto ganhasse corpo e atingisse principalmente as classes C e D, a dentista firmou parceria com o Hospital Albert Einstein e recebeu apoio da Fundação Mapfre. A empresa também foi acelerada pela Artemisia, organização sem fins lucrativos que fomenta negócios de impacto social.

Desde o ano passado, ela realiza seis encontros, de quatro horas cada, na favela de Paraisópolis, para pais, familiares, educadores, profissionais da saúde e qualquer pessoa envolvida nos cuidados com a criança, e dá consultoria em unidades do SESC (Serviço Social do Comércio).

Divulgação/Melissa Haidar

Leia também: Pais dançam com bebês no canguru e levam internet à loucura

Por QSocial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *