Museu Nacional recebe homenagem da Turma da Mônica

O Museu Nacional/UFRJ, instituição científica que está com atividades interrompidas por tempo indeterminado, recebeu uma homenagem carinhosa devido à perda de cerca de 90% dos 20 milhões de relíquias e parte da estrutura física comprometida num incêndio de enormes proporções, no início de setembro.

A equipe de Maurício de Souza, criador da Turma da Mônica, colocou alguns itens destruídos no acidente dentro do universo da Turma do Penadinho, que tem monstrinhos e espécies fantasmagóricas como protagonistas.

“Às vezes, a Dona Morte recebe um trabalho extra de surpresa… Mas quem foi que disse que a história não continua viva depois? Essa é uma singela homenagem ao Museu Nacional/UFRJ. Com carinho, de toda a Turma da Mônica. #MuseuNacionalVive”, explica a publicação feita na página oficial da Turma da Mônica no Facebook. 

Sha-amun-em-su – Sarcófago da múmia sacerdotisa, que entoava cânticos sagrados a Ámon/ Fonte: Museu Nacional | Facebook

Insubstituível é uma história em quadrinhos com seis páginas, que coloca personagens como Lobi (um Lobisomem) ou Frank (inspirado em Frankenstein) resgatando e acolhendo os itens queimados no museu para dentro do cemitério do Penadinho. 

Dentre as principais peças, estão o crânio de Luzia, o mais antigo de um ser humano encontrado na América do Sul, com aproximadamente 11.500 anos; a múmia de Hori, sacerdote da mitologia egípcia do templo de Ámon; o meteorito Bendegó, encontrado na Bahia no século XVIII (um dos únicos itens que resistiram ao desastre); e o dinossauro Maxakalisaurus, o primeiro de grande porte montado no Brasil.

Luzia – Crânio humano mais antigo encontrado no continente sul-americano/ Fonte: Museu Nacional | Facebook

 

Bendegó – Meteorito encontrado no sertão baiano, em 1784/ Fonte: Museu Nacional | Facebook

“Muito obrigada, Turma da Mônica! Como bióloga, mestre em botânica pelo MN [Museu Nacional], me senti emocionada e acariciada por toda a turma do Penadinho”, comentou Mariana Saavedra, usuária da rede social.

Confira a emocionante história na íntegra:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *