Ônibus de hackers carrega ativistas para invasões do bem

O termo “hacker” nem sempre é associado a algo positivo. Em geral, indica aquele que invade um computador para roubar dados ou implantar vírus. Mas existem também invasões do bem, e elas são realizadas não só no meio virtual. Imagine, então, um ônibus de hackers que sai para ocupar cidades brasileiras com ações sociais e políticas para melhorar a vida urbana.

Pode-se dizer que o objetivo do projeto é formar “hackers”, ou manipuladores da informação para o bem, por onde passa

O Ônibus Hacker existe desde 2009, quando o projeto foi lançado pela comunidade Transparência Hacker no Catarse, plataforma de financiamento coletivo. Em 60 dias, foram arrecadados R$ 60 mil, usados para a compra do busão, que caiu na estrada mesmo só em 2012.

As invasões realizadas seguem os princípios da Transparência Hacker, plataforma criada para que desenvolvedores web, jornalistas, estudantes, artistas, designers e gestores públicos, entre outros perfis, articulem ideias e projetos que se valham da tecnologia para atender a interesses da sociedade.

O Ônibus Hacker, um coletivo de ativistas

Mas sem essa de transitar por espaços proibidos: a comunidade em geral lança mão de dados governamentais abertos para, ao torná-los mais evidentes por meio de uma interpretação especializada, mobilizar as pessoas em prol de causas sociais.

E como isso vai parar no espaço público? Pode ser em forma de cartazes colados que apontam números de orçamentos públicos mal aplicados, por exemplo. Dados desse tipo também podem ser expostos com o uso do grafite.

Mas os passageiros desse ônibus também “dão as varas para pescar”: atuam na capacitação dos cidadãos com oficinas gratuitas de temas como projetos de lei, jornalismo de dados, mídia livre, impressão 3D e aplicativos mobile, seguindo a lógica de que uma população instruída é uma população empoderada.

Oficinas realizadas em Piracaia (SP) em 2017

O Ônibus Hacker já congregou mais de cem ativistas em ações que impactaram cerca de 3.000 pessoas, segundo os próprios organizadores. Em setembro do ano passado, o veículo esteve em Piracaia, no interior de São Paulo, com o intuito de promover oficinas livres para o público.

Entre os lugares pelos quais já passou até hoje, além do Estado de São Paulo, estão os de Minas, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Santa Catarina, bem como o Distrito Federal, Ciudad del Este, no Paraguai, e Montevidéu, no Uruguai.

Com foco neste ano eleitoral,  o Catraca Livre também quer estimular o protagonismo dos brasileiros, por meio da campanha “Sou Responsável”. Em parceria com o ReciproCidade – seu programa de inovação social –, o site As Coisas Mais Criativas do Mundo lança o desafio de criação do logo da campanha. O logo contratado vai receber R$ 10 mil; o prazo de envio vai até o dia 2 de março. Leia mais a respeito na matéria abaixo.

https://ascoisasmaiscriativasdomundo.catracalivre.com.br/arte/souresponsavel/

Por QSocial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *