Viva Mbappé e abaixo os youtubers preconceituosos

Eu nunca tinha ouvido falar nesse tal de Júlio Cocielo. Esse youtuber – digital influencer ou influenciador digital – fez um infelicíssimo comentário sobre o talentoso Mbappé, jogador francês que foi destaque no jogo da França contra a Argentina pela Copa do Mundo, comparando-o a um ladrão durante um arrastão.

Não foi a primeira vez que esse sujeito usava de sua “influência” para hostilizar pessoas negras, entre outros comentários extremamente infelizes e de péssimo gosto. Esse comentário foi a gota d’água.

Qual não foi minha surpresa quando li que esse rapaz estava representando a Embratur (ou seja, estava  representando o povo brasileiro) na Rússia durante a Copa.

Qual não foi minha surpresa quando soube que, além da Embratur, esse sujeito tinha contrato milionários com o Banco Itaú, entre outros grandes patrocinadores, que acabam por financiar suas piadas preconceituosas. 

Qual não foi minha surpresa ao ler que essa pessoa tem mais de 7 milhões de seguidores no Twitter, 11 milhões no Instagram e 16 milhões no YouTube. 

O que faz com que tanta gente abaixo dos 20 anos, com certeza, siga essa pessoa?

Por que esse rapaz, que talvez seja um cara muito criativo, não usa sua criatividade para fazer coisas legais, produtivas, interessantes e que colaborem para acabar com o preconceito, e não estimulá-lo?

Vou ter de confessar que tenho mais de 20 anos, mas eu sigo a youtuber Jout Jout. Adoro a liberdade dela, adoro o respeito, adoro a naturalidade e, apesar de ela ser super jovem, adoro a sensibilidade, a seriedade e a maturidade que ela tem em saber o que está fazendo, a importância do que está fazendo.  

Jout Jout é apenas um exemplo que me veio agora na cabeça. Vocês devem conhecer mais, então vamos lá, pessoal: vamos exercer nossa criatividade e seguir quem realmente tem algo a dizer, quem realmente faz a diferença.

Chega de dar audiência para a ignorância, mediocridade e preconceito. Se você era um seguidor do Cocielo, me faz um favor: dá um unfollow nele. 

E bora torcer para uma semi-final entre o grande e talentoso Mbappé e nosso querido Neymar.

Por Carmem Maia

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *