Voluntários revestem casas de madeira de população carente

O projeto social Brasil Sem Frestas atua com o revestimento térmico de casas de madeira  em comunidades carentes de Curitiba e Região Metropolitana.

Há dois anos, a dona de casa Tânia Mara Ribas fez do seu lar um quartel general da solidariedade. É lá onde caixas de leite vazias são transformadas em forro impermeável. Após serem lavadas, cortadas e costuradas, elas viram placas em formato de telhas, capazes de impedir a passagem do frio, do vento e da chuva.

QG do Brasil sem Frestas

 

Os voluntários, então, se unem em esquema de mutirão para anexar as placas com grampeadores de madeira nas frestas das paredes de moradias precárias, sendo que cada uma demanda cerca de duas mil caixas.

De acordo com a empresa sueca Tetra Pak, líder nesse segmento de embalagens, as caixas de leite são compostas por seis camadas: quatro de plástico, uma de papelão e uma de alumínio. Ou seja, além de impermeáveis, elas são eficientes isolantes térmicos.

Voluntárias do Brasil sem Frestas em ação; ao centro, a coordenadora Tânia Mara Ribas

 

“As placas com caixas de leite diminuem ou aumentam a temperatura ambiente em até oito graus e funcionam como um ar-condicionado natural. A gente deve tirar uma tonelada de caixas do lixo por mês, que levam até 200 anos para se decompor. Além de levarmos um pouquinho de conforto [para a população mais pobre], a gente ajuda a natureza”, diz Tânia em entrevista à TVE Ponta Grossa.

Em busca de sustentabilidade financeira, o Brasil sem Frestas também realiza eventos e bazares, que já possibilitaram a aquisição de uma carreta de pequeno porte e de uma Kombi para levar os materiais de trabalho até as comunidades assistidas.

Voluntárias em ação durante o revestimento térmico de uma casa na Região Metropolitana de Curitiba

 

O projeto social, que também possui iniciativas em outras cidades do país, reúne voluntários (sobretudo mulheres) de todas as idades, de crianças a idosos.

Com informações da Gazeta do Povo, G1 e TVE Ponta Grossa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *